Warren Neidich

ENGLISH

22 APR · 18H30 · Warren Neidich
Ruído e a Arte do Cérebro sem Órgãos

On-Line Lecture
 
Moderadora · Cristina Sá
 

O ruído é predominante na nossa sociedade pós-industrial. Seja apresentada como a cacofonia da fábrica e da máquina de guerra, o barulho causado pelo movimento anárquico de carros e camiões, o clamor da música grunge emanando de colunas num centro comercial ou a estática do entupimento de redes de informação, o ruído tem má reputação. É habitualmente considerado ofensivo e algo que tem de ser controlado ou mitigado. Contudo, o ruído tem um outro lado mais positivo e emancipatório na medida em que hoje representa formas e meios de constituir novas formas de conhecimento e de formas de compreender organização. Esta conceção contemporânea de ruído cria novas possibilidades para as formas e eventos que caracterizam e acusticamente transformam a banda-sonora que constitui as nossas paisagens culturais – sejam elas reais, imaginárias ou virtuais. Onde no passado o ruído era algo a ser suprimido, hoje é um conceito chave para as noções de emergência, complexidade e não-linearidade. Hoje, o ruído e a incerteza são consideradas a par da contingência como forças motrizes de inovação, criatividade e resistência.

Depois de escrever esta nova estrutura conceptual a que chama Neuroestética Ativista, Warren Neidich pretende compreender uma nova possibilidade para o ruído enquanto desarticulador entre as condições materiais de associações culturais disruptivas e redes de atenção que abraçam o ruído, aquilo a que Neidich chama de cérebro extra-craniano, e a arquitetura material do cérebro intra-craniano hospedado no crânio ósseo. Fundamental aqui é o emaranhamento e o espelhamento do cérebro intra-craniano com a plasticidade cultural. Neidich pretende explorar as consequências políticas emancipatórias da cacofonia de indeterminação e a improvisação e a sua lógica cultural para compreender as ligações que existem entre si e a variação e plasticidade do cérebro.


BIO

Tendo estudado fotografia, neurociência, medicina e arquitetura, Warren Neidich traz para qualquer plataforma de discussão uma posição interdisciplinar única a que ele chama "trans-pensamento." Atualmente utiliza vídeo e néon para criar polinização cruzada de trabalhos de texto conceptuais que refletem sobre situações na zona de fronteira entre arte, ciência e justiça social. O seu trabalho performativo e escultural “Pizzagate Neon” (2018), uma grande escultura de néon suspenso foi exposta recentemente na Bienal de Veneza de 2019, analisando as relações de Fake News, a economia de atenção em rede, a evolução de hábitos tecno-culturais e a co-evolução da arquitetura do cérebro.
 
O seu projeto conceptual "Drive-By-Art (Public Sculpture in This Moment of Social Distancing)" abriu recentemente na South Fork de Long Island e Los Angeles com críticas elogiosas em meios como The New York Times, Hyperallergic, The Art Newspaper, Time Out e Los Angeles Magazine. Ele é fundador e diretor do SaasFee Summer Institute of Art (2015-), uma pós-graduação de teoria intensiva que atrai estudantes de todo o mundo e que funciona em Los Angeles, New York City e Berlin.
 
Em 1996, ele fundou o www.artbrain.org e o Journal of Neuroaesthetics que está ativo até hoje incluindo um recente número sobre "Arte e Telepatia". Já recebeu os prémios Vilem Flusser Theory Award, Transmediale, AHRB/ACE Arts e Science Research Fellowship, Bristol e a Fulbright Scholarship. Adicionalmente, ele foi tutor nos departamentos de artes visuais, ciência computacional e estudos culturais no Goldsmiths College (2004-2008) onde, em colaboração com o Center for Cultural Studies, criou a primeira conferência em Neuroaesthetics (2005), bem como o Departamento de Neuroaesthetics (2005-2008). Enquanto bolseiro de investigação à distância da TU Delft School of Architecture ele coeditou (com Deborah Hauptmann) Cognitive Architecture: From Biopolitics to Noo-Politics. Desde então, editou três volumes das Psychopathologies of Cognitive Capitalism, publicados pela Archive Books, e Neuromacht, publicada em alemão pela Merve Verlag. O seu Glossary of Cognitive Activism foi publicado na inauguração da sua exposição solo “Rumor to Delusion” na Bienal de Veneza de 2019. Recentemente, foi professor de artes na Weißensee Kunsthochschule em Berlin (2017-2018).
 
No seu percurso tem sido orador visitante nos departamentos de arte em instituições como Brown University, GSD Harvard University, Columbia University, Princeton University, Southern California Institute of Architecture, UCLA, La Sorbonne Paris, University of Oxford e Cambridge University.