x

Partilhar esta página

X

Pós-Graduação em Performance Electrónica

PrintPrint
Português

 

APRESENTAÇÃO

De uma forma geral, os cursos disponíveis no mercado orientados para os criadores musicais, têm como objectivo preparar músicos para se apresentarem ao vivo enquanto intérpretes de criações alheias. Nesse sentido, são, ou tendencialmente clássicos (caso dos conservatórios) e dogmáticos, a que acresce a morosidade dos estudos e a rigidez dos modelos musicais abordados, ou então, demasiados curtos e orientados para competências meramente funcionais. Neste último grupo, incluem-se as diversas escolas privadas de DJ’s que proliferam um pouco por todo o país.

Procurando manter qualidades de ambos os regimes: solidez e consistência conceptual por um lado, e abertura a novas linguagens, técnicas e tecnologias, por outro, esta proposta de Pós-Graduação orienta-se fundamentalmente para o desenvolvimento de competências criativas ao mesmo tempo que procura exortar a criatividade individual de cada um. Não se pretende pois seguir nenhum modelo linguístico ou escola em particular, e muito menos a via da interpretação de reportório alheio.

A partir de um background alicerçado numa atitude musical exploratória, experimental e fundamentalmente electrónica, pretende-se que cada aluno possa encontrar e investigar a partir da sua zona de conforto, explorando de uma forma sustentada o seu potencial criativo, independentemente da orientação estética. Por essa mesma razão, serão convidados a leccionar, profissionais (com carreira docente ou não) que se movimentam em estéticas que vão da abstracção sonora (drone, glich, ambient, etc.) a dimensões mais funcionais da música, como é por exemplo o caso da música electrónica de dança, orientada para live acts (house, techno, minimal, drum&bass, etc.)

No primeiro semestre os convidados funcionarão como pontos de possível referência para os projetos a desenvolver pelos alunos no segundo semestre, e, em função dos projectos adotados, esses mesmos profissionais poderão ser convocados a acompanhar ocasionalmente o seu desenvolvimento e implementação, actuando de forma crítica e colaborativa na unidade curricular de Seminário de Performance.

Como estratégia de articulação com o mercado de trabalho, serão estabelecidas parcerias com alguns organismos promotores de eventos ou programadores, por forma a aproveitar-se a vinda de artistas a Portugal, ou à região. São disso exemplo: Festival Semibreve, Canal 180, gnration, Passos Manuel, Matéria Prima, Editora Crónica, Plano B, Sonoscopia, Companhia Instável, etc.

Estima-se também que essas parcerias possam potencializar a possibilidades de alguns alunos poderem vir a colaborar com esses mesmos espaços.

Será ainda promovida a parceria com estúdios da região que possam proporcionar experiências profissionais de gravação e mistura como forma de enriquecimento pela via da experiência directa.

 

OBJECTIVOS

Dotar os criadores utilizadores das atuais tecnologias de um background artístico e técnico que lhes permitam enfrentar de forma mais sólida os desafios que se colocam a todos aqueles que optam pela performance em tempo real como forma de afirmação.

Ao mesmo tempo que se procura criar esse background histórico, são implementados métodos operacionais e actividades que lhes permitem desenvolver, de acordo com as suas preferências, um conjunto de competências técnicas ao nível do saber fazer, do saber estar, do saber ser e do saber aprender.

As competências a desenvolver, incidem simultaneamente sobre a dimensão visual (live visuals) e sobre a dimensão sonora, embora se atribua especial relevância à variante sonora e musical.

Uma vez terminada a Pós Graduação, espera-se que os alunos sejam capazes de se autonomizar e de desenvolver estratégias de afirmação da sua própria criação. Paralelamente, espera-se que obtenham competências que lhes permitam implementar as resoluções que melhor se adequam à boa prossecução técnica e estética de cada projecto.

Procurar-se-á que os alunos desenvolvam um sistema pessoal de autocritica que lhes permita perspectivar a investigação e a experimentação como vias de crescimento interior.

 

COMPETÊNCIAS

- Conhecer a história da performance musical e visual contemporânea, momentos chave e principais impulsionadores ao longo do tempo nas diversas correntes;
- Saber identificar autonomamente características particulares dos diversos géneros das últimas duas décadas da performance electrónica;
- Compreender os diversos modelos de apresentação e produção técnica em concerto/performance;
- Conhecer e compreender os principais recursos tecnológicos e técnicos afectos à produção electrónica;
- Conhecer os fundamentos analógicos do funcionamento digital;
- Saber implementar soluções técnicas que possam responder aos mais diversos níveis de solicitação ou problemáticas;
- Saber responder com criatividade ao momentum da performance;
- Conhecer estratégias de criatividade que facilitem e estimulem a interacção com outros criadores em performance;
- Saber produzir output técnico com elevado grau de tecnicidade;
- Dominar competências mínimas de improvisação a solo e em grupo;
- Saber ouvir e ver criticamente.

 

ESPAÇOS E EQUIPAMENTOS

Dada a natureza específica da Pós Graduação e das opções personalizadas de cada autor, no exercício da sua criatividade, os alunos deverão usar os seus próprios sistemas, sejam eles computadores, software, controladores MIDI, hardware analógico dedicado, etc.

A escola providenciará espaço com sistema de som e projecção, assim como algum hardware diversificado. Caso seja necessário, a escola poderá disponibilizar um cacifo individual que permite guardar pequenos equipamentos de umas aulas para outras.

Escola das Artes
Área de Estudos: 
Artes
Grau de Ensino: 
Pós Graduação
ECTS: 
40
Coordenação: 

Prof. Doutor Vítor Joaquim

SVG Header