Professor André Perrotta (EA) integra equipa que recebeu o Prémio Melo e Castro 2018

 
O projeto "Thertact-Exo: Exosqueleto controlado por atividade cerebral para reabilitação vertebromedular", que integra vários professores da Universidade Católica Portuguesa, recebeu o Prémio Melo e Castro 2018, atribuído no âmbito dos Prémios Santa Casa Neurociências. Este projeto, liderado pela Universidade do Minho, conta com o contributo dos professores Carla Pais-Vieira (Instituto de Ciências da Saúde do Porto), de André Perrotta (Escola das Artes) e de Marlene Barros (Instituto de Ciências da Saúde de Viseu).
 
O prémio, no valor de 200.000 euros, permitirá ajudar a cumprir os desígnios do projeto que são o aperfeiçoamento de uma terapia utilizada no tratamento da paraplegia, tendo por base o controlo de um exosqueleto a partir da atividade cerebral. A equipa da Universidade Católica faz parte de um consórcio que envolve também a Universidade do Minho (líder de projeto), o Hospital de Braga, o Hospital de Guimarães, e o Instituto Santos Dumond (Brasil).
 
Este é o segundo ano consecutivo em que investigadores da Universidade Católica recebem este prémio, tendo sido atribuído em 2017 ao Professor Miguel Pais-Vieira, integrado num consórcio liderado por António Salgado da Universidade do Minho.
 
Na cerimónia de entrega dos Prémios Santa Casa Neurociências, que se realizou a 28 de novembro, estiveram presentes os ministros do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, António Vieira da Silva, e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Edmundo Martinho, os membros da Mesa da Santa Casa, o Júri e representantes das equipas vencedoras.