Filmes da Escola das Artes em destaque no Cinemax Curtas

 

Os filmes da Escola das Artes estão em destaque no Cinemax Curtas.

No programa do dia 5 de Dezembro do Cinemax Curtas da RTP 2 serão exibidos dois filmes produzidos pela Escola das Artes, realizados por estudantes. 
 
Alfaião foi o projeto final de mestrado de André Almeida Rodrigues. Estreado em 2017, já foi selecionado 71 vezes em 27 países, e recebeu vários prémios, entre os quais o de Melhor Documentário de Curta-metragem no FICABC – Festival Internacional Cinematográfico del Atlántico [Colômbia] e Melhor Curta-metragem Europeia no International Documentary Festival of Ierapetra [Grécia], ambos em 2018. “Alfaião” é um retrato contemplativo da rotina diária de uma aldeia bragantina com 173 habitantes.
 
Casas Caiadas foi o projeto com que Kyle Sousa concluiu a licenciatura. Entre outras seleções, foi nomeado para os Prémios Sophia Estudante 2017 e venceu o Prémio Cinema Português Melhor Escola de Cinema no Fantasporto 2018. Casas Caiadas é uma curta-metragem de ficção que visa criar um olhar sistémico sobre o conceito de família e de comunidade e como ambos se interligam.

 

Alfaião

2017 | 13' | Documentário

No campo pintado de branco pela geada, os pássaros cantam enquanto ludibriam o caçador que se aquece nos primeiros raios solares. Na lareira, a madeira crepita no fogo e aquece o idoso que faz a sesta na companhia do seu gato. Estamos na aldeia, onde há sempre muito calor apesar do frio e de a chuva cair de vez em quando. Esta aldeia é Alfaião.

André Almeida Rodrigues é um realizador português que nasceu em 1988 em Leça do Balio, concelho de Matosinhos.
Em 2016, concluiu o Mestrado em Som e Imagem, especialidade Cinema e Audiovisual, pela Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa. Como aluno, no 1o ano do mestrado, realizou e produziu “O Barbeiro Guitarrista”, um curto documentário que ganhou o Prémio Latino de Melhor Curta Metragem Portuguesa, foi nomeado ao Sophia Estudante, prémio da Academia Portuguesa de Cinema, e com 28 seleções em 19 países.
 
Casas Caiadas
 
2017 | 13' | Ficção
 
Maria acorda de manhã e depara-se com um ataque à sua casa. Agora, Maria é obrigada a reviver o passado para mudar o futuro e reconstruir a sua casa.
 
Kyle Silva de Sousa (Toronto, Canadá, 3 de Janeiro de 1994) estudou por um ano na licenciatura em Cinema, Vídeo e Comunicação Multimédia da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, entre 2012 e 2013. Após isso, em 2014, começou a licenciatura em Som e Imagem, pela Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa. Durante a licenciatura, participou como assistente de produção em curtas-metragens como “Colibri” (2016), “Iodo” e “O Manto” (2017), sendo a sua primeira experiência de realização a curta-metragem “Casas Caiadas” (2017), para a qual escreveu também o argumento e fez a edição de vídeo. Na área do argumento, trabalhou também no guião da curta-metragem de animação “O Cachalote” (2017), projeto final do Mestrado em Animação da mesma universidade.