CALL FOR PAPERS • Screen Narratives: Order and Chaos

12.09.2019 09:00 — 14.09.2019 20:00
Campus Foz

Ao clicar aqui, o conteúdo irá ser traduzido pelo Microsoft Translator.
By clicking here, the content will be translated by Microsoft Translator.

12.09.2019 09:00 14.09.2019 20:00 CALL FOR PAPERS • Screen Narratives: Order and Chaos Link: http://artes.porto.ucp.pt/pt/central-eventos/call-papers-screen-narratives-order-and-chaos

Como Chegar / How to Arrive
Universidade Católica Portuguesa - Porto | Campus Foz

 

 

 
Narrativas Audiovisuais: Ordem e Caos
12º Congresso Internacional da Screenwriting Research Network (SRN)
 
Screen Narratives: Order and Chaos
12th Screenwriting Research Network (SRN) International Conference
 
Porto, Portugal, Setembro 12-14, 2019
 
Organização:
Centro de Investigação em Ciência e a Tecnologia das Artes
Escola das Artes, Universidade Católica Portuguesa
 
 
 
 
 
“Parece que um tipo singular de caos pode existir por trás da fachada da ordem – e, no entanto, bem dentro do caos, existe um tipo ainda mais peculiar de ordem.”
- Douglas R. Hofstadter
 
 
O cinema clássico de Hollywood foi criado sob o pressuposto da clareza, e muitas vezes modelou-se em torno da estrutura aristotélica proposta na Poética, ou nas estruturas dos mitos e dos contos de fadas, identificadas, respetivamente, por Joseph Campbell e Vladimir Propp. Tais escolhas permitiam criar uma impressão de ordem através da unidade de perspetiva (que conferia uma perceção de objetividade), causalidade (progressão temporal linear), inter-relação do objetivo do protagonista e do conflito narrativo (ambos transparentes), identidades não-problemáticas (um ator correspondia a uma única personagem), entre outros aspetos. Segundo David Bordwell, estas histórias, dominadas pela ação dramática, costumam ocorrer em diferentes locais e são povoadas por uma multiplicidade de personagens secundárias; o final normalmente implica a transformação do protagonista, juntamente com uma mudança do status quo envolvente.
 
Todavia, os movimentos artísticos europeus, como a Nouvelle Vague francesa, que estiveram na matriz do cinema contemporâneo, e os realizadores da Nova Hollywood procuraram formas diferentes de contar histórias, expressando uma visão mais complexa e incerta da vida. Esta tendência aumentou a partir dos anos 90, em simultâneo, em diferentes media: cinema, televisão, jogos digitais, multimédia, a internet e as suas potencialidades hipertextuais e interativas. A partir dos anos 2000, o suporte de DVD e o streaming de video permitiu formas mais poderosas de contar histórias na Televisão ou em páginas como o YouTube. Novas formas de fruição surgiram com estes media, visto que as visualizações repetidas permitiam acesso a mais detalhes e camadas narrativas, criando um novo paradigma de comunicação que apela a uma atitude mais ativa e participativa dos espectadores.
Hoje, apesar de o paradigma clássico da estrutura dos três atos ainda ter um lugar importante no guionismo, há cada vez mais argumentistas, realizadores, produtores, e prosumers que buscam diferentes possibilidades de contar histórias. Termos como o cinema pós-clássico, os filmes-puzzle, as narrativas modulares, a ficção interativa, as narrativas complexas tornaram-se comuns. Mas a grande dúvida é: como pode um sentido emergir a partir do nebuloso, do aleatório, do imprevisível? Por isso, desafiamos os investigadores a refletirem em dispositivos narrativos nos quais a ordem é equilibrada pelo caos, a simetria pela assimetria, a integração com a diferenciação, a unidade com a multiplicidade, a inteligibilidade com o enigma, a continuidade com a disrupção, a estabilidade com a mudança. De que forma é que esta dialética produz padrões narrativos mais simples ou mais complexos?
 
 
TÓPICOS SUGERIDOS
 
Para este congresso da SRN procuramos comunicações que discutam questões de caos e ordem na narrativa audiovisual contemporânea, abrangendo tópicos como:
 
-   Caos e ordem na história do guionismo.
-   Caos e a emergência de novos tipos de ordem.
-   Diferenciação e integração em narrativas complexas.
-   Tensão, contenção e disrupção no guionismo.
-   Tipos de causalidade: linear, circular, estrutural...
-   Distintividade, impercetibilidade e mistério na criação e receção.
-   Aleatoriedade vs. padrões de criação e receção.
-   A relação entre narrativas complexas e géneros fílmicos.
-   Sentidos múltiplos vs. sentido unívoco.
-   Novas narrativas de expressão minoritária.
-   Abordagens interdisciplinares à narrativa (relacionadas com Filosofia, Psicologia, Estudos Culturais, etc.).
-   Modos narrativos tradicionais vs. contemporâneos.
-   Cinema contemporâneo internacional, cinema de Hollywood contemporâneo e cinema underground.
-   Estruturas poéticas e narrativas.
-   Modos narrativos de comunicação (interativo, unidirecional, etc.).
-   O impacto das novas tecnologias (VR, 4D, 5D, VOD, etc.) na receção de narrativas audiovisuais disruptivas.
-   Intermedialidade (cinema, televisão, BD, novos media, instalações, cinema interativo, conteúdo web).
-   Narrativas para media interativos (instalações, jogos digitais, webseries, etc.)
-   A influência da televisão e de outros media no cinema contemporâneo.
-   Contaminações narrativas entre artes visuais e cinema, bem como artes cinemáticas e cinema expandido.
-   Ficção híbrida e não ficção.
 
 
SUBMISSÃO DE PROPOSTAS
 
Para a submissão da proposta, por favor envie um document word escrito em Inglês, através de e-mail com o assunto “SRN2019 Proposal” para SRN2019@porto.ucp.pt, incluindo:
-   título
-      autores: nomes, afiliação institucional e informação de contacto 
-   resumo (250-300 palavras)
-   3-5 palavras-chave
-   nota biográfica breve sobre os autores (máximo 100 palavras)
 
Proposta Individual:
 
Podem ser enviadas propostas individuais (para uma apresentação de 20 minutos) e para painéis pré-constituídos (3-4 apresentações, com duração de 20 minutos cada). O organizador do painel deve enviar a informação supracitada relativa a cada proposta, acrescida do título do painel e do nome do moderador (com respetivo contacto e biografia de 100 palavras max.). 
Cada responsável de Grupos de Trabalho da SRN pode também propor um painel que reflita a investigação que tem sido feita no grupo ou pelos seus membros, em relação ao tema do Grupo de Trabalho.
O painel pré-constituído pode também ser organizado como Fórum de Debate, isto é, um workshop focado no debate de artigos dos respetivos autores, e não na apresentação teórica. Cada texto deve ser apresentado pelo autor em 5 minutos, seguido de um debate muito estruturado. Pretende-se que todos os participantes destes painéis leiam antecipadamente os artigos, de modo a poderem colocar questões específicas. O moderador tem um papel fundamental na definição da metodologia de debate e dinamização do mesmo. 
 
 
Tipos de apresentação:
 
Apresentação oral
 
Apresentação practice-based 
A apresentação combina diferentes modos de expressão, tanto de caráter científico como artístico. Assume-se que parte da informação que se pretende transmitir não é adequadamente expressa através de um discurso lógico e racional (e com uso de palavras, números ou esquemas), mas requer o contacto com estímulos de natureza artística ou prática. Na sessão, cada autor mostra o seu trabalho artístico/prático em 10-15 minutos, acompanhado de uma reflexão teórica (5-10 minutos), num total de 20 minutos por trabalho.
 
Ensaio Audiovisual
Os autores são convidados a apresentar um ensaio audiovisual com duração máxima de 15 minutos, no qual exprimem uma posição sobre um dos tópicos da conferência. Não se trata de uma gravação de uma comunicação tradicional nem de um filme artístico tradicional – é um discurso audiovisual que exprime uma posição teórica. Depois do visionamento, haverá um debate com os autores. Para submeter um ensaio audiovisual, para além do resumo acerca do conteúdo teórico supra referido (250-300 palavras), os autores deverão enviar também uma sinopse descritiva da forma artística utilizada (500-700 palavras).
 
 
Todas as propostas de comunicações individuais e de painéis devem ser enviadas para o e-mail SRN2019@porto.ucp.pt até 15 de janeiro de 2019. A língua oficial do encontro é o Inglês.
 
 
WEBSITE > AQUI