Arte & Ciência | Alexandre Estrela · Zebrafly

A Universidade Católica Portuguesa no Porto informa que decidiu cancelar todos os eventos públicos ou eventos de massas, até indicação em contrário.
28.05.2020 18:30
Auditório Ilídio Pinho

Ao clicar aqui, o conteúdo irá ser traduzido pelo Microsoft Translator.
By clicking here, the content will be translated by Microsoft Translator.

28.05.2020 18:30 Arte & Ciência | Alexandre Estrela · Zebrafly Link: http://artes.porto.ucp.pt/pt/central-eventos/arte-ciencia-alexandre-estrela-zebrafly

Como Chegar / How to Arrive
Universidade Católica Portuguesa - Porto | Auditório Ilídio Pinho

 

Arte & Ciência | Alexandre Estrela · Zebrafly
Auditório Ilídio Pinho
28 MAI · 18H30
ENTRADA LIVRE
 
 
Mais informação disponível em breve
 
 
---
 
ALEXANDRE ESTRELA
 
O trabalho de Alexandre Estrela é uma investigação sobre a essência das imagens que se expande espacial e temporalmente através de diferentes suportes. Nos seus vídeos e instalações, Estrela examina as reações psicológicas do sujeito às imagens na sua interação com a matéria. Cada peça tem várias camadas nas quais somos iniciados passo a passo. As obras não estão lá apenas para serem observadas, mas para serem desdobradas. Cada peça convoca experiências sinestésicas, ilusões visuais e sonoras, sensações sonoras e cromáticas que funcionam como armadilhas perceptivas, levando o sujeito a níveis concetuais. Com essa estratégia, Estrela está constantemente problematiza os elementos que constituem o ato de perceção, dividindo a visão noutras dimensões sensíveis em relação ao invisível e ao inédito. De entre as suas exposições individuais destacam-se , entre outras, Um Mês Acordado, com curadoria de Gerard Faggionato em Indipendenza, Roma,; Tudo e Tudo, Den Frie, Copenhague; Volta Grande, com curadoria de Luiza Teixeira de Freitas no Pivô, São Paulo; Métal Hurlant, com curadoria de Sérgio Mah na Fondation Gulbenkian Paris; Lua Cão (com João Maria Gusmão + Pedro Paiva), um projeto iniciado em 2017 pela Galeria Zé Dos Bois, que viajou para o Kunstverein München e  foi concluído na La Casa Encendida em Madrid em 2019; Faca na água, na Travesía Cuatro, Madrid; Ouro Mouro, no Quetzal Art Center, Vidigueira,  Baklite, no CAV Centro de Artes Visuais; Cápsulas de silencio, no âmbito do Programa Fisuras, no Museu Reina Sofia; Roda Lume, no Museu de Arte Contemporânea de Antuérpia, M HKA; Meio Concreto, no Museu de Serralves; Um homem entre quatro paredes, na Pinacoteca do Estado de São Paulo; O Círculo das Manchas Solares, no The Flat Time House, Londres. Desde 2007, Alexandre Estrela é o diretor e programador de um espaço artístico sem fins lucrativos em Lisboa chamado Oporto.