Intro

 

Seminar
Art Under Political Order
14 FEB · 15h-19
Escola das Artes' Exhibition Room
Free Admission
 
Several artistic projects are focused on their social and political relevance reclaiming an engagement act – between art and society – to be at the centre of the artwork. At stake is the ability of explicitly dealing and discussing conflictual aspects of the human experience in a deliberate and politized way. However, it is relevant to consider in what ways that “engagement” can lead to renunciation, or loss, or even sacrifice of the material aspects of the artwork in favour of its political content. That is, can the commitment between art and its political efficacy compromise the aesthetic dimension? Can an artwork be validated only by its political agenda and its discursive efficiency? In a world of political extremes, is art becoming only a “tool” of political activism [artivism]? Are there possibilities beyond the polarization of aesthetic autonomy and political activism: forms of positioned art practice that knows how to articulate the social also in and through formal and material qualities?
 
This seminar proposes an open and fearless discussion on the contemporary (dis)tensions between politics and the aesthetics of art. A reflection that takes into consideration how these questions face the founding assumption of autonomy of art. A reflection that can also emerge from a necessary change from the ethnographic, documental, political, and socially engaged art practices to a conciliation with its aesthetics.
 
Speakers:
Alexandra Balona
Francisco Vidal
Luiz Camillo Osorio
Pedro Duarte de Andrade
Sabeth Buchmann
 
Organizing Committee:
Daniel Ribas
Maria Coutinho
Nuno Crespo
 
Joint organization:
 
--
 
Seminário 
Art Under Political Order
14 FEV · 15h-19h
Sala de Exposições da Escola das Artes
Entrada Livre
 
Vários projetos artísticos se têm centrado na sua relevância social e política, reivindicando um ato de engajamento - entre arte e sociedade - como centro da obra de arte. Está em causa a capacidade de lidar e discutir explicitamente aspectos conflituantes da experiência humana de uma forma deliberadamente politizada. No entanto, é importante tomar em linha de conta o modo como esse “engajamento” pode levar à renúncia, à perda ou até ao sacrifício dos aspectos materiais da obra de arte em favor de seu conteúdo político. Isto é, poderá o compromisso entre a arte e sua eficácia política comprometer a dimensão estética? Pode uma obra de arte ser validada apenas pela sua agenda política e eficácia discursiva? Num mundo de extremos políticos, estará a arte a tornar-se uma mera “ferramenta” do ativismo político [artivismo]? Haverá possibilidades para lá da polarização da autonomia estética e do ativismo político: formas de prática artística posicionada, que consigam articular o social sem perder de vista as qualidades formais e materiais?
 
Este seminário propõe uma discussão aberta e sem temores sobre as (dis)tensões contemporâneas entre política e estética da arte. Uma reflexão que tome em consideração como essas questões se confrontam com o pressuposto fundador da autonomia da arte. Uma reflexão que pode também emergir da necessidade de mudança das práticas artísticas etnográficas, documentais, políticas e socialmente engajadas para uma conciliação com a estética.
 
Oradores:
Alexandra Balona
Francisco Vidal
Luiz Camillo Osorio
Pedro Duarte de Andrade
Sabeth Buchmann
 
Organizadores:
Daniel Ribas
Maria Coutinho
Nuno Crespo
 
Organização conjunta: